1.9.04

Vícios

Ela apagou o cigarro.
Acendi outro.
Ela apagou o segundo.
Acendi o terceiro.
Ela apagou o pobrezinho.
Acendi o quarto.
Adoraria dizer à ela que preserve meus vícios.
Meu amor, preserva o vício de dançar na frente do espelho, imitar Elis Regina e acender um cigarro depois de um dia daqueles. Preserva o meu vício de manter 'defeitinhos' pequenos e doces. Cultiva a péssima mania de ficar brava e chutar o mundo, pedir desculpa encabulada ou chorar sem ninguém ver.Preserva a mania estúpida de querer mudar tudo, o tempo todo - móveis, planos, desejos e tesões.
Permita-me pequenos defeitinhos - costumo ser perfeccionista e exigente a maior parte do tempo.
Deixa-me à vontade.
Vais notar que com o tempo o cigarro apaga!
Aprenda: beijos leves exigem renúncia honesta.


3 comentários:

Pati disse...

Pati, lindo texto. Gostei da idéia da tolerância na convivência, é muito legal.

Agora, um pequeno reparo de quem acabou de fumar: com o tempo o cigarro apaga, mas a gente não o apaga sem muito esforço!

Anônimo disse...

Ah, esqueci de dizer: o comentário acima é do décio, que me mandou por mail. (Pati)

Anônimo disse...

Ah, esqueci de dizer: o comentário acima é do décio, que me mandou por mail. (Pati)