14.1.05

Tribo

Não faz tempo desejei morar numa tribo - é, isso mesmo! Se Deus quiser, um dia eu quero ser índio, e tomar banho de sol, baila comigo, uouou...

Adoro a idéia de plantar e colher, pés no chão, vida calma, livro nas mãos, produzir para os que amo, falar devagar, escrever um romance, ter planos comuns, correr por vontade (e não necessidade!), cabelo no rabo-de-cavalo, dispensar batom e cabelo escovado, bailar na tribo...

Hoje, acordei entre computador, prazos, reuniões, duas linhas telefônicas, celular tocando, pastas verdes, muito papel (e nem era reciclado!), reuniões, trânsito, engarrafamento com chuva, dia rápido, bolachas na hora do almoço, café para segurar o raciocínio, pauta de reunião, ata de reunião, gastrite, esofagite, consultas, arquivo, livro...

À noite, em silêncio, minha alma tirou os sapatos, respirou manso e dançou na tribo. Sim, coloquei cocar, pintei a face com urucum, tirei o jeans e vesti minha tanga. Deitei na rede, seios de fora, pés descalços e limpinhos...Até pensei em chamar minha índia, mas na tribo não tem telefone... E de vez em quando a gente precisa aprender a bailar sozinha...

2 comentários:

Anônimo disse...

Bem que eu gostaria...

Carol disse...

Eu gosto da agenda da tribo e gosto de vcs que alimentam esse blogger.Quanto a morar numa tribo eu quero morar mesmo, já procurei para morar uma ecovila, o Xingu,com os índios de Caraíva, vou procurando e não canso de procurar sei que quando achar vou ser realmente feliz. Um abraço a todos vcs.