11.9.04

Securas

A Capital de todos os paulistas esturricou esta semana.
Somaram-se os dias mais quentes aos mais secos do ano.
Não é só o arenoso do ar que se respira,
não é só o agulhar do sol no olho da gente.
O clima aqui transcendeu o clima.
Estamos no mais desidradatado iraque e entre os inocentes estraçalhados;
nos assombram iguais o terror da guerra dominadora colonial
e aquele dos fanáticos que contabilizam friamente a morte de suas vítimas.
Pessoas são mortas nesta cidade com um golpe único em suas cabeças,
enquanto dormem.
É tudo muito seco.
E bobeou o Bush ainda se reelege.
(não tem importância,
presta atenção,
está cheio de vida à tua volta!)
o oposto de secura é musicalidade.
musical
é úmido.

Um comentário:

Jorge disse...

Certo você, mano Fred. Esta cidade tá sêca até na alma. Ainda mais com a sujeira que a politicada faz nesta época... Os caras alopram mesmo, não tem vergonha nenhuma. Todo mundo na maior dureza e eles por aí, esbanjando grana...